<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

16 fevereiro 2012

Nomes e significados

 

Finalmente o verão instalou-se com ânimo de permanecer. O calor denso. A furiosa luz do sol. A disputa pelas sombras das árvores. Os dias mais longos. O peregrino Joshua aproveitava aquele início de manhã descansando. Restaurava forças para seguir sua caminhada. Sentado num dos bancos da praça da cidade observava a vida revolucionando. Crianças com merendeiras nas mãos e sandálias nos pés com passo apressado indo à escola. Zum zum de carros. Um cachorro arfava, estirado no chão e de língua de fora. O céu pipocado de nuvens brancas. Um jovem atravessava a praça resmungando algo. Chutava pedrinhas no chão. Mãos nos bolsos das calças jeans.

– Bom dia, garoto – falou Joshua sorrindo e despertando o jovem de seu momentâneo transe. – O que houve que lhe incomoda?

O garoto parou. Encarou Joshua. Com voz contrariada falou:

– Nada… Odeio meu nome, só isso. Simplesmente odeio. Por que não posso chamar-me Paulo ou Tiago? José! Meus colegas de aula vivem fazendo piadinhas. Não aguento mais… É chegar ao colégio e começam.

– Entendo – disse Joshua que continuava olhando firme para os olhos do garoto. – Sabia que muitas pessoas que conheci em meus longos anos de vida não gostavam de seus nomes?

– Novidade… – e o garoto deu de ombros.

– É. Quando criança pensei em trocar o meu: queria me chamar Astolfo – o garoto imediatamente fez cara esquisita e Joshua não conseguiu concluir se de espanto, nojo ou puro horror. – Verdade. Não gostava do meu nome, Joshua. Parecia de menina – e o garoto concordou com aceno de cabeça e esboçou sorriso. – Mas certo dia andando por uma praça exatamente como essa, descobri algo interessante. O mais importante não era como me chamavam e sim o que meu nome significava para mim mesmo.

– Como assim? – indagou o garoto.

Joshua pegou um graveto e escreveu na areia do chão da praça:

 

Justo e disposto a encarar o mundo.

Orgulhoso de ser homem que busca o crescimento de seu espírito.

Sábio para ver suas limitações intrínsecas.

Humano, falível, imperfeito.

Um semeador de pensamentos e entendimentos.

Amante da vida, do mundo, dos homens.

 

O garoto lia compenetrado.

– Sequer escute o que dizem sobre seu nome, garoto – concluiu Joshua. – Importe-se com o que ele significa para você mesmo. É você que o constrói e empresta-lhe o verdadeiro significado. Certa vez um rapaz não gostava de seu nome. Achava-o bobo. Mas descobriu o que ele significava:

 

Simplicidade.                                                    

Humildade.

Intolerância: devemos evitá-la.

Doar-se ao próximo.

Amizade: devemos cultivá-la.   

Relevar.                                                 

Tolerar.                                                             

Amar incondicionalmente.                               

 

– Esse rapaz – completou Joshua – posteriormente ficou conhecido como Buda.

Pegando uma pedrinha do chão o garoto sorriu e seguiu seu caminho, assobiando.

Um comentário em: Nomes e significados

  1. Rafael - 1 de março de 2012

    Via Facebook
    André Corrêa
    Lovato, muito bom que vc anda atualizando o site. Acompanhar o Joshua é sempre um prazer! Abraços
    Rafael: Abração meu bom amigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *