<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

16 fevereiro 2012

O sábio e o tempo

 

 

Mais um ano passou na vida do peregrino Joshua, e naquela quente tarde de verão tomava chá gelado sentando na varanda da pensão em Campo Florido. Em sua mente dançavam lembranças de pessoas há muito perdidas, e recordou uma conversa com um amigo: ‘Poxa, já é sexta. Mal era domingo e já passou a semana novamente. Meus dias voam! Não possuo tempo para fazer metade das coisas que gostaria’, o amigo comentou. Joshua, jovem e inexperiente que era na época, respondeu: ‘Pois meus dias são intermináveis. Possuo tempo de sobra’. O que, naquela época, pareceu excelente resposta.

A voz de um garoto, vinda do interior da pensão, trouxe Joshua de volta ao tempo presente:

– O senhor tá triste? Ora, alegria, é seu aniversário!

Joshua se virou para o garoto:

– Meu amiguinho, não estou triste. Somente pensativo.

O garoto sentou ao lado de Joshua:

– E o que o senhor tá pensando?

– Que já abordei minha existência neste mundo de maneira equivocada.

O garoto coçou a cabeça:

– Hm… Como assim?

Joshua ajeitou a bengala entre os joelhos:

– Que, se nos ocuparmos com aquilo que não nos pertence, nossa vida se transforma em uma quase eternidade. De outra feita, se fizermos o que realmente queremos e devemos, nossos dias serão curtos como um piscar de olhos. A vida passará rápido, sim. Mas, concluiremos que vivemos de fato, e não somente sobrevivemos. Precisamos gastar nossos dias obrando coisas que façam sentido para alguém. Especialmente para nós mesmos.

– Credo! Nunca imaginei que pessoas adultas se ocupassem pensando esse tipo de coisa. Eu não penso. Bom, mas minha mãe falou que o senhor é um velho sábio, vai ver que é por isso…

Joshua olhou para o garoto:

– Meu amiguinho, anos vividos não transformam alguém em sábio, e sabedoria não é medida de felicidade. Além disso, não há pessoa que saiba tudo ou se encontre sempre certa. Mesmo homens sábios podem, às vezes, agirem como idiotas. A mente humana é um mistério.

– É… O senhor tá triste sim.

– Não, eu me reavalio constantemente, só isso. E não olho para trás buscando ver onde errei e sim o que aprendi com isso. E, principalmente, se dali em diante acertei, se consegui não cometer os mesmos erros. O aniversário é sempre um momento mágico, pois entrega a sensação empírica do passar do tempo. E isso acaba nos ensinando a certeza de nossa finitude e fugacidade. Mas, não há de ser nada, meu bom garoto. Não temo o tempo. Creio intimamente que faço tudo aquilo que deveria e poderia de minha vida. Minha consciência se encontra livre. E é por isso que minha verdade lhe digo: hoje, velho, não me falta tempo. Nem sobra. Ele se transformou na medida de mim mesmo.

 

*Aos leitores de Joshua que procuram uma leitura espiritual e filosófica, aconselho o livro “A lenda de Jael”, do qual poderão ler os primeiros capítulos no meu site.

"11" comentários em: O sábio e o tempo

  1. Rafael - 1 de fevereiro de 2014

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck
    Lindo texto, amigo Rafael!

    • Rafael - 1 de fevereiro de 2014

      Bjo Heloiza!

  2. Rafael - 31 de janeiro de 2014

    Via FACEBOOK
    Bagual Klein
    Excelente !

    • Rafael - 31 de janeiro de 2014

      Abração Bagual!

  3. Rafael - 31 de janeiro de 2014

    Via FACEOOK
    Norton Campos
    Showwwww de bola,baita abraco,meu querido!!!

  4. Rafael - 31 de janeiro de 2014

    Via FACEBOOK
    Helia Floriano
    Adorei..

    • Rafael - 31 de janeiro de 2014

      Bjo Helia!

  5. Verluci Almeida - 5 de março de 2012

    ADOREI:
    – Somente sei que a vida é um mistério.
    E constantemente me reavalio.
    E não olho para trás buscando ver onde errei e sim
    o que aprendi com isso. E se dali em diante acertei.
    Se consegui não cometer os mesmos erros.
    É sempre um momento mágico o aniversário.
    Ele traz a sensação empírica do passar do tempo.
    E isso acaba entregando-nos a certeza de nossa
    finitude e fugacidade.
    – Não temo o tempo. Creio intimamente que faço
    tudo aquilo que deveria e poderia com minha vida.
    Minha consciência encontra-se livre.
    E o mais interessante é que hoje não me falta tempo.
    Nem sobra. Ele se transformou na medida de mim mesmo.

    • Rafael - 5 de março de 2012

      Rafael Lovato: 🙂 !!!

  6. Rafael - 5 de março de 2012

    Via Facebook
    Betty G Goncalves ‎
    *LINDÍSSIMAS …POETA RAFAEL..BEIJOS ANJO*
    Rafael Lovato: Obrigado, beijão para vc Betty!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *