<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

27 abril 2012

E se…

*Imagem recortada de ‘Eruption’, por Jacek Yerka.

 

Finalmente, o tornozelo do peregrino Joshua sarou, e ele pôde seguir sua caminhada, deixando para trás o vilarejo de Ventos Uivantes.

Naquele começo de tarde, encontrava-se sentado à sombra de uma árvore, descansando. Pensava que era o momento de retomar sua peregrinação. Mas, encontrava-se cansado, e não fisicamente, mas em espírito. Ponderou, então, que o melhor a fazer era rumar para as montanhas e meditar, sozinho, por algum tempo. Por outro lado, pensou que gostava do contato com seus semelhantes, e os retiros espirituais, apesar de indispensáveis para que encontrasse harmonia, às vezes eram solitários demais. Mesmo que na companhia de um anjo.

Olhou a natureza a sua volta e confirmou que o dia estava muito bonito, com o sol brilhando e poucas nuvens no céu. Um vento frio soprava, trazendo questionamentos em sua garupa.

Com sua mente inundada por aqueles ares, Joshua conjecturou.

 

E, se soubéssemos, ontem,

O que descobrimos e aprendemos somente hoje,

Mudaríamos nossas atitudes e vidas?

Ou, ainda assim, quedaríamos inertes?

 

E, se o mundo acabasse, assim, de repente,

Continuaríamos, neste exato momento,

Fazendo as mesmas coisas, autômatos adormecidos,

Ou há algo mais urgente, que nos espera?

 

E, se nada do que projetamos, enquanto jovens, estivesse perdido,

Somente encontrando-se esquecido, porém, aguardando-nos,

E soubéssemos como voltar a ser crianças,

Deixaríamos de perseguir nossos sonhos?

 

E, se amanhã acordássemos em um novo mundo,

Onde sinceridade, caridade e honestidade

Fossem a diretriz maior, a mola-mestra do viver,

Permaneceríamos silentes com o que vimos ontem e hoje?

 

E, se os amores que nos destinam fossem verdadeiros,

E, realmente, acreditássemos no que somos,

Buscando entregar, aos outros, o melhor de nós mesmos,

Ainda assim seríamos inseguros e ciumentos?

 

E, se trabalhássemos com dedicação,

Comprometidos, de boa vontade,

Vendo o labor como opção de vida e não como mera necessidade,

Ainda assim teríamos preguiça de levantar de manhã?

 

E, se nada do que vivemos fosse a verdade,

E tudo o que construímos, ruísse, como um castelo de areia,

E todos os que amamos nos faltassem,

Continuaríamos com as mesmas carências?

 

E, se no mundo, fosse obrigatório,

A todos nós, quando acordássemos,

Olharmos um espelho por cinco minutos,

Continuaríamos vivendo a mesma vida?

 

E, se Deus realmente não existe,

E a fé é uma mentira,

O inferno, uma piada,

Por que continuamos com medo do escuro e da morte?

 

O vento frio gelava as bochechas de Joshua, e em seu intelecto as dúvidas se multiplicavam. Sabia que seu espírito precisava de um tempo para si mesmo.

Assim, ele pegou a bengala e se levantou, rumando, decidido, para as montanhas, ao som das batidas das asas do anjo pousado em seu ombro.

"8" comentários em: E se…

  1. Rafael - 6 de setembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Norton Campos
    Maravilha,como sempre Rafael Lovato,super abracoooooooooooo

    • Rafael - 6 de setembro de 2014

      Abração meu amigo Norton!

  2. Rafael - 5 de setembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck
    Lindo texto!

    • Rafael - 5 de setembro de 2014

      Beijos minha querida amiga Heloiza!

  3. Eduardo - 2 de maio de 2012

    E se….o verdadeiro significado de nossa existencia fosse descoberto no momento em que podemos abraçar e beijar um filho.
    Saudades meu irmão.
    Abraço.

    • Rafael - 2 de maio de 2012

      Saudades mesmo, meu querido. Bjão para vocês.

  4. Rafael - 28 de abril de 2012

    Via Facebook
    Roseanne Damasceno
    Nunca se deve deixar de persegur nossos sonhos. Adorei! Bom dia Rafael. Abraços
    Rafael Lovato: Bjão Roseanne.

  5. Rafael - 27 de abril de 2012

    Via Facebook
    Manuela Reis
    E se soubéssemos, ontem,…E se o mundo acabasse, assim, de repente,…..E se nada do que projetamos, enquanto jovens, estivesse perdido,….E se, amanhã, acordássemos em um novo mundo,….E se os amores, que nos destinam, fossem verdadeiros,…E se trabalhássemos com dedicação,….E se nada do que vivemos fosse a verdade,…E se, no mundo, fosse obrigatório,…E se Deus não existe,
    E a fé, uma mentira,
    O inferno, uma piada,
    Por que continuo com medo do escuro?……, Este questionamento interior, esta reflexão, de Joshua nas montanhas…..é, sem dúvida alguma nosso tbm. Sempre que subimos à nossa montanha e perante a imensidão e grandeza do Criador, e expostas as nossas inseguranças e fragilidades, nos deixamos inebriar, inundar pelo silêncio, pela magnitude e decidimos meditar, inevitavelmente Joshua viverá em nós!!!Muito interessante e rico de reflexão meu amigo, gostei muito!!!Bjos Rafael Lovato
    Rafael Lovato: Obrigado, minha querida Manuela, adoro seus comentários. Bjos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *