<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

4 maio 2012

Pena de si mesmo

Naquela manhã, o peregrino Joshua acordou muito cansado no quarto da pequena pensão do vilarejo de Bela Vista. Apesar de sua mente permanecer vívida e sempre disposta a enfrentar novos desafios, sabia que seu corpo acusava a passagem dos anos. Mas, também possuía o conhecimento de que precisava seguir vivendo, e foi o que ele fez.

Escorado em sua bengala, desceu ao andar inferior. Tomava café da manhã quando o proprietário da pensão, sentado ao seu lado, comentou, entre uma mordida e outra em uma fatia de pão:

– O senhor tá muito pensativo. Preocupado com alguma coisa?

Joshua depositou a xícara de café sobre o pires e se virou para o homem:

– Meu amigo, obrigado pelo interesse. O que ocorre é que, até poucos dias atrás, eu me encontrava retirado nas montanhas, justamente meditando sobre a vida e os homens.

– Mas o senhor tá sério demais…

– Tão sério quanto a importância da reflexão sobre as decisões e caminhos que segui em minha vida terrena.

O homem largou a fatia de pão sobre a mesa:

– Entendo. Sabe, eu mesmo estou com sérios problemas, e não sei o que fazer… Mas, não quero incomodar o senhor.

– Não me incomoda em nada. Continue.

O homem se ajeitou na cadeira:

– Na verdade é que, sabe como é, eu também fiz escolhas erradas em alguns momentos de minha vida, e acabo atormentado por isso.

– Meu amigo, neste mundo, todos passamos por escolhas difíceis. Encontramos muitos percalços em nosso caminho e, muitas vezes, podemos tropeçar e cair. Além disso, sei que, quando chegamos às encruzilhadas da nossa existência e avaliamos a estrada em nossa frente, não raramente, acabamos escolhemos o caminho mais fácil.

O homem coçou a cabeça:

– É bem assim mesmo!

– Não queremos percorrer o mais árduo, pois questionamos nossas forças e tememos tropeçar e cair. Por que arriscar, não é mesmo? – O homem nada falou, somente concordava acenando a cabeça. Joshua prosseguiu: – Atalhar parece uma atitude sábia. Porém, é justamente o estar no chão que nos ensina a levantar, e melhor: a não cair novamente. A verdade é que aqueles trechos, os quais atalhamos em nosso viver, não nos esquecem. Indubitavelmente, eles nos reencontrarão nalgum dia. E, a menos que decidamos percorrê-los, nos perseguirão para todo o sempre.

O homem arregalou os olhos:

– O senhor não poderia estar mais certo. Tô sendo perseguido por meu passado!

Joshua encarou o homem:

– Compreendo, perfeitamente, pelo que você passa. E isso ocorre porque, muitas vezes, o melhor não é sermos complacentes, tanto conosco quanto com o próximo. E não que a compaixão e entendimento não devam ser exercitados, mas, sim, que não há vergonha alguma em tombar. Nem em errar, arrepender-se, reconsiderar.

– Acho que entendi o que o senhor quer dizer.

– Meu amigo, o verdadeiro perigo é passarmos a aceitar a derrota e nossas imperfeições como vetores de nossa vida. Mas, não há problema algum em eventualmente sermos derrotados, recuarmos, para adquirirmos forças para um novo embate – e Joshua colocou a mão no ombro do homem: – É por isso que minha verdade lhe digo: o que não podemos admitir é sentirmos pena de si mesmos, e vivermos em retirada. Passado, escolhas equivocadas, todos temos. A questão é o que faremos, hoje, para que eles não nos visitem no amanhã.

"15" comentários em: Pena de si mesmo

  1. Rafael - 21 de abril de 2014

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck
    Outro excelente texto ,caro amigo Rafael! 🙂

    • Rafael - 21 de abril de 2014

      Um beijão minha querida amiga Heloiza!

  2. Rafael - 21 de abril de 2014

    Via FACEBOOK
    John Williams B
    Indico Joshua a todas as almas rebeldes e que anseiam respostas…

    • Rafael - 21 de abril de 2014

      Abração John

  3. Rafael - 21 de abril de 2014

    Via FACEBOOK
    Daisi Godoy
    Gostei muito do conteúdo do texto realmente o que necessitamos refletir.Bjs!

  4. Rafael - 21 de abril de 2014

    Via FACEBOOK
    Irene Oliveira
    Acontece no dia a dia das pessoas…

    • Rafael - 21 de abril de 2014

      Bjo Irene!

  5. Rafael - 21 de abril de 2014

    Via FACEBOOK
    Norton Campos
    Showwwww,meu querido,feliz páscoa pra vocês

    • Rafael - 21 de abril de 2014

      Abração Norton!

  6. Caroline Carpenedo - 19 de maio de 2012

    Faz todo sentido. Muito profundo!

    • Rafael - 19 de maio de 2012

      Que bom que gostou, Caroline. Bjão!

  7. Rafael - 4 de maio de 2012

    Via Facebook
    Manuela Reis ‎
    “…a conclusão à qual cheguei foi que, muitas vezes, o melhor não é passarmos a mão, complacentemente, na cabeça do próximo ou na de nós mesmos, nem nos apiedarmos, abrigados na compaixão e entendimento…. não há vergonha alguma em tombar, nem em errar, se arrepender, reconsiderar. O verdadeiro problema é passarmos a aceitar a derrota e nossa própria pequeneza como sendo molas propulsoras de nossa vida. Não há problema em recuar, para adquirirmos forçar para um novo embate. O problema é vivermos em retirada. Problemas? Todos temos; a questão é o que faremos para eles não nos visitarem no amanhã.”
    ….Linda lição meu amigo!excelente texto que nos expõem esplendidamente a razão, os motivos porque devemos aceitar as nossas fraquezas e as nossas forças, e fazer delas o motor de arranque das decisões a tomar, sem medo, sem fuga, e sim com muita firmeza e realidade!!!_Aceitemos a Verdade de nós e em nós, e o mundo ajudaremos a ser melhor!!!Adorei o texto Rafael!! Bjos meu amigo
    Rafael Lovato: Bjão, minha querida Manuela!

  8. Rafael - 4 de maio de 2012

    Via Facebook
    Alfredo Silva
    Muito Fixe.
    Rafael Lovato: Valeu, meu amigo português!

  9. Rafael - 4 de maio de 2012

    Via Facebook
    Nara Borba
    Verdade, Rafael Lovato. Bjosss
    Rafael Lovato: 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *