<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

25 maio 2012

Variações de Joshua

 

*Imagem recortada de ‘Floral’, por Claude Monet.

 

O peregrino Joshua ainda se encontrava na cidade de Nuvens Altas. Durante todo o dia, andou por suas ruas e avenidas, e pretendia seguir sua peregrinação naquela noite mesmo. Porém, o clima se encontrava instável, existindo séria chance de uma tormenta cair do céu a qualquer momento. Refletindo sobre a questão, concluiu que já não mais possuía idade ou saúde para arriscar encontrar um resfriado no meio do caminho. Assim, dirigiu-se a uma pensão na saída da metrópole, para pernoitar; prosseguiria sua peregrinação no dia vindouro.

Pouco antes de adentrar a pensão, Joshua, olhando o céu, percebeu que o começo de noite escolhera ser cinzento, indeciso se despejaria raios e chuva ou se limparia o céu, para o sol reinar no amanhecer. De qualquer modo, estaria abrigado para a noite.

Entrou na sala da pensão, e imediatamente se deparou com uma vitrola e alguns discos bem novos, e pensou que somente em uma pensão de uma grande cidade para encontrar algo assim tão chique. Dentre os discos, avistou Variações de Goldberg, de Johann Sebastian Bach, e seu coração se encheu de alegria, pois adorava música clássica, e raramente possuía a oportunidade de ouvir. Gostava, especialmente, do poder que aquele estilo de música possuía de remetê-lo diretamente à mente do compositor. E, mesmo que não pudesse ter certeza do fato concreto que originara a música, conseguia perceber o sentimento que a motivara, e isso era fantástico!

Após pedir permissão ao dono da pensão, para ouvir o disco, Joshua se acomodou no sofá, ao lado da vitrola. Ouvindo Bach, de olhos fechados e viajando com as notas da melodia, refletiu.

 

Por que seguimos acordando todos os dias?

Será que, realmente, existe uma forte razão para isso?

Tentamos nos convencer de que há.

Porém, não seria essa crença somente tola esperança?

Pode não haver razão para o amanhã. Pode ser bobagem sonhar.

Mas, então, questiono:

Se o amanhã fosse desimportante,

Então, também o ontem o seria,

E, no final, nem mesmo o hoje faria qualquer sentido.

Morreríamos pelo simples fato de não precisarmos estar vivos.

Talvez, então, o que realmente importa é o que fazemos do agora, dos nossos dias,

E o sentido intrínseco dos nossos momentos

Não se divorcia de nossa própria medida de importância frente ao espelho.

Que seja: nossa projeção de mundo, a esperança, o que somos,

Inclusive o amor e a paixão, seriam diretamente dependentes

Do que nossos próprios olhos vêm de nós mesmos, de nossos sentimentos.

E isso é encorajador.

Sim, pois força a concluir que o motivo de vivermos,

Para podermos ver e existir no amanhã, que é baseado no ontem,

Depende de nós mesmos; daquilo que fazemos agora.

Improfícuo esperar pelo desabrochar de uma flor no amanhã

Se ontem não a plantamos e hoje não a regamos.

Em nossas vidas, se nenhuma flor desabrocha,

Tendemos a pensar que somos sem sorte, esquecidos,

E que, em nossas vidas, flores não existem.

Porém, o que de fato inexistiu foi nossa própria paixão,

Nossa paciência, zelo, amor e cuidado.

Faltou-nos visão de mundo.

O bom disso tudo é que o hoje, um dia, será o ontem,

E, assim, agora é um ótimo momento para iniciarmos o plantio

Do que gostaríamos que florescesse no amanhã.

Assim, finalmente modificaremos nossa percepção de mundo,

Compreendendo que, em nossas vidas, podem existir muitas flores.

Basta nos dedicarmos a planta-las, rega-las, ama-las.

"7" comentários em: Variações de Joshua

  1. Rafael - 10 de maio de 2014

    Via FACEBOOK
    Mônica Guimarães Kawakami
    Rafael Lovato, muito obrigada por compartilhar o seu talento com o grupo. É um grande privilégio para nós!

    • Rafael - 10 de maio de 2014

      Beijo Mônica!

  2. Rafael - 9 de maio de 2014

    Via FACEBOOK
    Norton Campos
    Como sempre,SHOWWWWWWWWWWWW,baita abraco,meu queridoooooooo

  3. Rafael - 9 de maio de 2014

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck
    Lindo!

    • Rafael - 9 de maio de 2014

      Beijão minha querida Heloiza!

  4. Rafael - 25 de maio de 2012

    Via Facebook
    Rosiane Ceolin
    Morreriamos pelo simples fato de não precisarmos estar vivos. Perfeito amigo.
    Rafael Lovato: Fico feliz que vc goste, minha querida amiga. Bjão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *