<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

24 agosto 2012

Dias iguais

*Imagem recortada de “Trigal perto de Arles”, por Van Gogh.

 

Naquela quente e ensolarada tardinha primaveril, o peregrino Joshua caminhava em meio a um trigal nos arredores do vilarejo de Menina Bonita. Observava a suave brisa brincando com o trigo, que balançava cadenciadamente, estendendo-se até o horizonte. Avistou nuvens brancas em contraste com o azul do céu, e pensou no espaço sideral, nos planetas e na terra revolucionando ao redor do sol.

Sozinho com seus pensamentos, sentou ao chão, retirou um pedaço de papel e um lápis do alforje, e escreveu:

 

Como parece estranha, às vezes, a minha passagem por este mundo.

Há dias em que me sinto parado, inerte, como uma árvore,

E por mais que me esforce para progredir, avançar, sair do lugar,

Não percebo qualquer evolução: encontro-me arraigado ao chão. Enraizado.

Isso pode ser somente uma percepção individual,

Uma inércia aparente, posto que posso, na verdade, me encontrar em movimento.

Exatamente como minha impressão sobre a terra, daqui desse trigal.

Ela parece estar parada. Mas, eu sei que não é a verdade.

Ainda assim, como controlar essa ânsia, essa tristeza, essa vontade de chorar,

Gerada pelo meu próprio sentimento de inércia? De me encontrar parado?

Olho para os lados e vejo a vida, o trigo, sinto os ventos,

E, às vezes, penso que meus dias, simples e caprichosamente,

Repetem-se.

Sou uma cópia de mim mesmo, dia após dia.

Nada de novo sobre Joshua, sob esse céu ou nesta terra.

Espero por Caronte?

A morte e seu barco. Os ventos, a vida e o trigo que balança.

Sou um velho povoado por dúvidas, e me sinto como um barquinho à deriva,

Muitas vezes esperando, desesperadamente, uma onda ou a maré,

Para reencontrar o atracadouro das marés da minha vida.

Sinto falta de meus pais, minha esposa, meus filhos…

Mas, então, lembro que, mesmo à deriva, sempre posso remar.

Dias e mais dias se repetem em minha vida, é bem verdade.

E, isso acontece quando paro de prestar atenção em mim mesmo.

Não é diferente, por exemplo, do que ocorre com casais enamorados,

Cujos relacionamentos acabam por caírem na repetição,

Pois pararam de prestar atenção em si mesmos.

E, bastaria mudarem pequenas coisas: um beijo inesperado, uma flor,

Uma palavra de carinho, e tudo recomeçaria, floresceria novamente,

Revigorando o relacionamento.

Sãos os remos.

Cada um precisa remar, para o barquinho navegar pelas marés dessa vida,

Sem ficar à deriva.

Não vivamos vidas fotocopiadas, pois um dia será nosso último,

E não podemos nos dar ao luxo de desperdiçarmos o tempo que nos foi dado.

Ame, ensine, ria, compartilhe, beije…

O movimento em nossa vida, o evoluir, depende de uma coisa só:

De nossa capacidade e vontade de utilizar os remos de que dispomos.

O principal: o ato de remar depende exclusivamente de nos mesmos.

E, isso é reconfortante.

 

"18" comentários em: Dias iguais

  1. Rafael - 5 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Selma Correa Rodrigues
    Muito bom mesmo !!

  2. Rafael - 3 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Carla Marder
    Lindo eu sempre curto.

    • Rafael - 3 de outubro de 2014

      Beijos Carla

  3. Rafael - 3 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Daisi Godoy
    Esse texto bateu forte,nossa tocante fiquei com os olhos cheios de lágrimas.Parabéns! Quando o escritor puxa o leitor desta forma para dentro do texto acho como leitora maravilhoso! Namastê.

    • Rafael - 3 de outubro de 2014

      Beijão minha querida Daisi

  4. Rafael - 3 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Sonia Maria da Silva
    Estou me sentindo assim sem razão de viver.

    • Rafael - 3 de outubro de 2014

      Anime-se minha querida Sonia

  5. Rafael - 3 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Norton Campos
    Maravilhaaaaaaaaaaaaaaaaa,meu queridoooo Rafael Lovato,super abracoooooooooooooooooooooooooooo pra vocêssssssssssss

    • Rafael - 3 de outubro de 2014

      Abraço Norton!

  6. Rafael - 3 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Elaci Bencke
    Sempre leio,,adoro!!!

    • Rafael - 3 de outubro de 2014

      Beijos Elaci!

  7. Rafael - 3 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Delci Mantelli
    bom demais….

  8. Rafael - 3 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Francine Deitos Kreling
    “O movimento em nossa vida, o evoluir, depende de uma coisa só:
    De nossa capacidade e vontade de utilizar os remos de que dispomos.
    O principal: o ato de remar depende exclusivamente de nos mesmos.”

    • Rafael - 3 de outubro de 2014

      Beijos minha cunhada amada!

  9. Rafael - 3 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Irene Oliveira
    Como sempre 🙂

    • Rafael - 3 de outubro de 2014

      Beijos Irene!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *