<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

31 agosto 2012

Newton e a temperança

O espírito do peregrino Joshua ansiava em reiniciar a peregrinação, deixando para trás o vilarejo de Menina Bonita. Porém, sabia que seu corpo ainda precisava de repouso em virtude do tornozelo machucado.

Com tal dicotomia em mente, naquele final de tarde se encontrava sentado em um dos bancos da pracinha do vilarejo aguardando o entardecer, quando um adolescente parou ao seu lado e comentou:

– Hoje a professora falou sobre ação e reação… É uma das leis que um tal de Newton inventou faz um tempão, e pensei que é bem assim mesmo: pediu, levou; pá de lá e pá daqui. Ação e reação. Quem fala o que quer, ouve o que não quer. O senhor concorda?

Joshua olhou para o adolescente.

– Meu jovem amigo, acredito que seja fato inafastável à natureza humana que, para muitas questões, precisemos responder imediatamente, sermos rápidos e determinados. Mas, para a grande maioria das interações em sociedade, a calma é a melhor companhia.

O jovem cruzou os braços, meneando a cabeça.

– Ah, o senhor fala isso por que é velho. Na minha idade, ou a gente bate ou apanha. Ou manda ou obedece. Simples assim.

Joshua se levantou do banco, escorando ambas as mãos sobre a bengala.

– Diariamente lidamos com acontecimentos que nos alegram, irritam ou comovem. Somos muitos, espalhados pelo mundo, e cada homem é único e possui pontos de vista particulares, o que oportuniza um sem número de desacordos. Mesmo em nossas próprias famílias, atritos comumente tomam lugar.

O adolescente deu de ombros.

– E eu não sei?

Joshua deu um passo na direção do adolescente.

– Isso acontece, pois as pessoas possuem consciência própria, pensam e agem distintamente, muitas vezes de modo diferente do que faríamos. E isso, não raramente, frustra-nos, indigna ou mesmo irrita, levando-nos a reações ao mais puro estilo Newtoniano: devolvemos a frustração com a mesma intensidade com que a recebemos…

– Mas isso é que tá certo!

Joshua deu mais um passo na direção do adolescente.

– Meu jovem amigo, o problema é que, quando isso acontece, retrocedemos ao puro estado da matéria orgânica, tornando-nos um objeto inanimado, primitivo, respondendo ao mais puro e simples estímulo. Reagindo, agindo e reagindo, prendendo-nos em um mecânico círculo vicioso puramente irracional.

O adolescente descruzou os braços.

– E que mal tem isso?

Joshua olhou nos olhos do adolescente.

– O mal disso é que, assim, abrimos mão do próprio cerne de ser humano. O qual emerge exatamente quando paramos para pensar, saindo do vórtice criado pela reação primitiva e irracional, dando espaço para florescer a noção de que podemos agir diferente. Somos melhores, podendo nos dar ao direito de refletir sobre o acontecido, dormir sobre o problema, acalmar ânimos, utilizar a razão.

– Agora tô entendendo aonde o senhor quer chegar.

– Nessa vida, muitas vezes devemos contrariar as leis de Newton, pois sua teoria, no que tange à simultaneidade, intensidade e sentidos opostos, não necessariamente se aplica a nós enquanto engajados em articulações e interações em sociedade – e Joshua colocou a mão no ombro do adolescente. – Meu jovem amigo, é por isso que minha verdade lhe digo: dê-se ao direito de não reagir impensadamente. Devolva, sim, os estímulos que recebe, mas com a melhor das reações humanas possíveis: a temperança.

 

*Dedico esta coluna ao meu saudoso avô Edwin.

"18" comentários em: Newton e a temperança

  1. Rafael - 10 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Eliene Lima
    Sou fã do Joshua, ele é um gênio!

    • Rafael - 10 de outubro de 2014

      Beijão minha querida Eliene

  2. Rafael - 10 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Carla Marder
    Oi Rafael eu curti. bjs. da tua amiga carla.

  3. Rafael - 10 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck
    Belo texto, como sempre!

    • Rafael - 10 de outubro de 2014

      Beijos minha querida amiga Heloiza

  4. Rafael - 10 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Adriana Kiesel
    Ótimo, como sempre 🙂

    • Rafael - 10 de outubro de 2014

      Beijos minha querida Adriana

  5. Rafael - 10 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Norton Campos
    Espetacular,como sempre,meu queridooooooooooooooooo Rafael Lovato,abração e ótimo findi pra vocêssssssssssssssssss

    • Rafael - 10 de outubro de 2014

      Grande abraço Norton

  6. Rafael - 10 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Tereza Gibson
    Bom dia amigo muita luz paz e sabedoria e saúde para vc e sua familia sua fã.

    • Rafael - 10 de outubro de 2014

      Beijão Tereza!

  7. Rafael - 10 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Érico Gonçalves
    Gentil e generoso zelo para com este grupo… Parabéns pela temperança!

    • Rafael - 10 de outubro de 2014

      Abração Érico!

  8. Rafael - 10 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Monica Yanobi
    Dom que sempre encanta !
    Sucesso !

    • Rafael - 10 de outubro de 2014

      Beijão minha querida Monica

  9. Rafael - 31 de agosto de 2012

    Via FACEBOOK
    Joao Gilberto
    Muito bom mesmo!!!!

    • Rafael - 31 de agosto de 2012

      🙂 Valeu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *