<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

6 setembro 2012

As romãs e o egoísmo

O peregrino Joshua deixara para trás o vilarejo de Menina Bonita. Com o auxílio das asas do anjo pousado em seu ombro, o tornozelo nem incomodara tanto assim na caminhada ao povoado de Rio Fundo.

Na região, apesar de a primavera já ter despontado, um cortante vento frio soprava naquela ensolarada tarde, a ponto de Joshua pegar o cachecol de dentro do alforje, com o qual deu duas voltas em torno do pescoço antes de se por a caminhar pelo vilarejo.

Após dobrar uma esquina, deparou-se com vistosa romãzeira que adornava o pátio de uma das residências. Quedou-se a vislumbrá-la, e enquanto divagava em seus pensamentos, dentro do mar de lembranças à que a maçã romana lhe remetia, um velho homem se aproximou e, estendendo uma romã a Joshua, comentou:

– Tome, meu senhor. Pela maneira com que olha a árvore, suponho que goste da fruta.

Joshua aceitou a romã, e olhou para o velho homem.

– Meu bom amigo, muito obrigado. Saiba que não consigo decidir se o que mais aprecio é o sabor da fruta ou o significado que lhe é inerente.

O velho homem coçou a cabeça.

– É mesmo? E que significado seria esse?

– Presentearmos alguém com uma romã, mais do que um gesto gentil, é ato de combate ao egoísmo, pois ela é estandarte da solidariedade e união entre os homens.

O ancião cruzou os braços.

– Como assim?

Joshua abriu a fruta ao meio.

– Se observarmos o interior da romã, veremos que ela é formada por inúmeras bolsinhas, de diversos tamanhos e formas, e, não raramente, mesmo com cores distintas. Apesar dessas diferenças, todas elas formam a fruta, que é um corpo único e harmonioso. Assim, ela vem nos demonstrar que é possível e desejável a unificação entre pequenas partes desiguais, formando um todo coerente, que é o que realmente importa.

– Acho que entendi o que o senhor quer dizer…

Joshua deu um passo na direção do velho homem.

– Precisamos compreender que, assim como cada bolsinha, isolada, não é uma romã, também os homens, sozinhos, nada formariam ou alcançariam nessa vida. E, isso me faz pensar e indagar: o que seria da fruta, se cada partícula sua fosse egoísta com seu sumo, ou, então, negasse-se a compor o conjunto? E mais: não fosse a solidariedade interna, a aceitação e respeito pelo espaço das bolsinhas, suas vizinhas, como seria a romã? Ela existiria?

O ancião sorriu, descruzou os braços e arregalou os olhos.

– Mas ah! O senhor sabe das coisas, em? Claro que não existiria a romã!

– Exatamente. Além disso, algo mais ela nos ensina: devemos ser pacientes para comê-la, o que, mais uma vez, nos distancia do egoísmo. Sim, pois o homem paciente reflete e pondera sobre seus passos e condutas, o que é caminho da tolerância e solidariedade.

– Mas, agora até eu nem sei mais se prefiro o gosto dela ou o significado!

– Meu bom amigo, temos muito a aprender com a natureza, pois ela não é egoísta nem individualista. Não pensa em maior espaço para si nem em rechaçar o diferente, menor ou mais fraco, sempre buscando harmonia e coerência – e Joshua olhou nos olhos do velho homem. – É por isso que minha verdade lhe digo: gosto de romãs, mas, aprecio ainda mais uma boa companhia para degusta-la.

Ao dizer aquilo, Joshua estendeu uma das metades da fruta ao velho homem, e ambos as saborearam, conjuntamente.

"18" comentários em: As romãs e o egoísmo

  1. Marco Simão - 18 de outubro de 2014

    Representa tambem a prosperidade e a solidariedade, sempre juntas e proporcionando uma acomodação impar, acolhendo a todos. Abraços.

    • Rafael - 18 de outubro de 2014

      É verdade meu amigo Marco, um abraço!

  2. Rafael - 17 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Ana Claudia Marques
    Rafael, sucesso, sempre! você inspira a gente!

    • Rafael - 17 de outubro de 2014

      Que bom ouvir isso Ana, beijão!

  3. Rafael - 17 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Eliene Lima
    O ancião sorriu, descruzou os braços e arregalou os olhos.
    – Mas ah! O senhor sabe das coisas, em? Claro que não existiria a romã!
    Rs…Concordo, ele sabe das coisas!!

    • Rafael - 17 de outubro de 2014

      Beijão Eliene!

  4. Rafael - 17 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Norton Campos
    Maravilhaaaaaaa,como sempre,meu querido Rafael Lovato,super abraço e ótimo findi pra vocêssssssssssssssss

    • Rafael - 17 de outubro de 2014

      Abraço meu amigo NOrton

  5. Rafael - 17 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Gilney Mylius Lembrança de minha infância estampada nesta romã…

  6. Rafael - 17 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Josiane Bülow Dumke
    Gosto muito de ler o q vc posta 🙂 sempre espero e procuro para ler 🙂 tenhas um excelente dia de trabalho 🙂

    • Rafael - 17 de outubro de 2014

      Beijos Josiane!

  7. Rafael - 17 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Grace Oseki
    Adorei esta estória!!

    • Rafael - 17 de outubro de 2014

      Que bom Grace, beijos!

  8. Rafael - 17 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Monica Yanobi
    Divido minha metade …

    • Rafael - 17 de outubro de 2014

      beijos Monica!

  9. Rosa Maria Lovato - 26 de setembro de 2012

    Adorei a maneira de encarar a importância de cada parte num todo. E a necessidade da agregação para formar este todo. Parabéns, meu filho. Te beijo, mãe.

    • Rafael - 27 de setembro de 2012

      Bjo mamãe amada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *