<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

21 setembro 2012

As coincidências

Naquele início de tarde primaveril, o peregrino Joshua se encontrava sentado em um dos bancos da pracinha do vilarejo de Rio Fundo, lendo um livro. Súbito, um homem sentou ao seu lado, indagando:

– Boa tarde. Bom o livro? Do que fala?

Joshua parou de ler e olhou para o homem, que, na verdade, era um ancião.

– Boa tarde. Sim, estou gostando. Remete-me às coincidências que ocorrem no mundo dos homens…

O ancião bateu uma das mãos sobre o joelho.

– Coincidências, pois sim! E, pensar que há homens que acreditam que caminhamos sobre linhas traçadas pelo criador, sempre conduzindo-nos conforme a vontade Divina…

– Meu amigo, em minha juventude eu encarava as coincidências com naturalidade, desacreditando que tudo no mundo possuísse um fim determinado e específico, rechaçando o conceito de Maktub. Ou seja: que o homem não comanda seu destino, não passando de marionete de uma vontade maior e inexplicável: a vontade Divina…

O ancião bateu novamente a mão no joelho, interrompendo Joshua.

– É bem assim mesmo. Não existe um Deus Pai Todo Poderoso que olha e nos guia, e, muito menos há uma energia do mundo que converge para que seja feita a Sua vontade… Tudo balela.

Joshua largou o livro e se ajeitou no banco da praça.

– Eu também acreditava que o futuro era feito unicamente no dia a dia, nas decisões tomadas e ações efetivadas. Nada era estático, pré-determinado ou imutável, e coincidências existiam, sim, sem precisar cogitar que alguém arquitetava os passos dos homens, determinando-lhes o destino…

O ancião balançava a cabeça.

– Perfeito.

– Porém, um dia, questionei-me: o que, então, seriam as coincidências?

O ancião, olhando firme para Joshua, resumiu-se a dar de ombros e arquear sobrancelhas. Joshua prosseguiu.

– Obra do puro acaso? Quer dizer que, então, encontrávamo-nos abandonados à nossa própria sorte? Encerrávamo-nos em nós mesmos, como um barco à deriva? Na época, um amigo apontou que essa era uma noção dura, mas real, com o que não pude concordar. Ao olhar ao redor e observar tudo o que acontecia no mundo, pensei que deveria existir algo a mais do que aquilo. Até então, eu considerava que a necessidade pessoal da existência de um Ser Superior, magnânimo e absoluto, era gerada pelo puro medo… No entanto, vi o que estava além dele, e concluí que muitas das questões que aconteciam, no mundo, eram deliberadas… Muitos gritavam “eu não acredito; não sou um espiritualista”, mas quantos gostariam de descobrir a verdade? De realmente encontrar uma prova que ruísse seu conceito puramente cientificista, encontrando os abismos e lacunas existentes dentro de si mesmos?

O ancião coçou a cabeça.

– Acho que entendi aonde o senhor quer chegar.

Joshua olhou nos olhos do ancião.

– Questionei-me: realmente buscava a verdade? Será que não era eu que vivia com medo, buscando puramente explicações racionais para as belezas do mundo? Por que eu existia? Para viver, pura e simplesmente, e morrer? Não… Hoje gosto de pensar que, quando morrer, terei uma nova chance noutro lugar e num outro tempo, e isso me conforta. Hoje, eu sei aonde terminarei meus dias. Após muito refletir, descobri algo importante – e Joshua colocou a mão no ombro do ancião -, e é por isso que minha verdade lhe digo: eu buscava, desesperadamente, estender a minha vida humana, pois acreditava, erroneamente, que era a única que eu possuía. Mas, após todos esses anos, compreendi: a passagem por esse mundo é somente o começo.

"30" comentários em: As coincidências

  1. Rafael - 1 de novembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Beatriz Maria Niedermeyer
    Amo os textos maravilhosos com que nos brindas.São de uma leveza ímpar, deliciosos de se ler. Bjs Rafael, parabéns e obrigado.

    • Rafael - 1 de novembro de 2014

      Beijos Beatriz

  2. Rafael - 1 de novembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Vilberto Peixoto Jr.
    Aproveito para agradecer-lhe por amiúde nos brindar com palavras inspiradoras e que nos fazem refletir sobre a pequenez e transitoriedade das questiúnculas desta vida mudana. Obrigado e continue sempre assim!

    • Rafael - 1 de novembro de 2014

      Abraço Vilberto

  3. Rafael - 31 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Eliene Lima
    Adorei o seu texto , representa o que eu penso!

    • Rafael - 31 de outubro de 2014

      Beijos Eliene

  4. Rafael - 31 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Vera Carvalho Assumpção
    Ótimo Rafael Lovato. ainda mais diante desta imagem da possibilidade de se pousar sobre a lua pousada sobre montanhas e montanhas de gelo!!!!

    • Rafael - 31 de outubro de 2014

      Beijos Vera

  5. Rafael - 31 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Arnaldo Leodegário Pereira
    Muito bom Rafael Lovato! Parabéns! Boa tarde!

    • Rafael - 31 de outubro de 2014

      Abraço Arnaldo

  6. Rafael - 31 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck
    Maravilha de texto!

    • Rafael - 31 de outubro de 2014

      Beijos minha querida Heloiza

  7. Rafael - 31 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Josiane Bülow Dumke
    perfeitoo 🙂

  8. Rafael - 31 de outubro de 2014

    Via FACEBOOK
    Norton Campos
    Espetáculooooooooooo,meu queridoooo Rafael Lovato,super abraçooo e ótimo findi pra vocês

    • Rafael - 31 de outubro de 2014

      Abração Norton!

  9. Rafael - 27 de setembro de 2012

    Via FACEBOOK
    John Williams Bezerra
    Muito bom, dos melhores que li da série “Joshua”, parabéns, voce escreve bem demais Rafael Lovato…

    • Rafael - 27 de setembro de 2012

      Valeu pelo elogio, John. Espero continuar merecendo!

  10. Karima - 22 de setembro de 2012

    Que presente para começar meu dia!
    Parabéns, Rafael.
    😀

    • Rafael - 22 de setembro de 2012

      Presente foi o seu comentário! Bjão!

  11. Rafael - 21 de setembro de 2012

    Via FACEBOOK
    Ana Claudia Marques
    Estou adorando seguir Joshua… tenho muito desta caminhada. Parabéns por saber expressá-la tão claramente.

    • Rafael - 22 de setembro de 2012

      Que bom ouvir isso, Ana Claudia.

  12. Rafael - 21 de setembro de 2012

    Via FACEBOOK
    Edson Moura
    Está aí um fragmento que surpreende, Rafael: “[…]em minha juventude, eu encarava as coincidências com naturalidade, desacreditando que tudo no mundo possuísse um fim determinado e específico, rechaçando o conceito de Maktub, ou seja: que o homem não comanda seu destino, não passando de marionete de uma vontade maior e inexplicável: a vontade Divina..”

    • Rafael - 21 de setembro de 2012

      Abração meu amigo Edson!

  13. Rafael - 21 de setembro de 2012

    Via FACEBOOK
    Elis De C. Pfingstag
    Bela reflexão… Vale a pena ler.

    • Rafael - 21 de setembro de 2012

      Bjão minha querida Elis!

  14. Rafael - 21 de setembro de 2012

    Via FACEBOOK
    Rosiane Ceolin
    Bom dia amigo, bela esta parte do livro, gostei mto

  15. Rafael - 21 de setembro de 2012

    Via FACEBOOK
    Rejane Rosa Rosa
    VC, É 100% É DA TERRA E MERECE NOSSO RECONHECIMENTO..! EU CURTO EU GOSTO!

    • Rafael - 21 de setembro de 2012

      Bjão Rejane!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *