<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

19 novembro 2012

O que espero de mim mesmo?

Sentado em uma cadeira na varanda da pensão do vilarejo de Monte Branco, o peregrino Joshua percebeu que a tardinha chegou sem afastar o mormacento e úmido calor do dia. Pensou que seria bem-vinda a chuva, especialmente se trouxesse, em sua algibeira, um vento refrescante. Seu coração se alegrou quando viu relâmpagos iluminarem o horizonte, ao mesmo passo em que uma jovem, vinda do interior da pensão, comentou sentando em uma cadeira ao seu lado.

– Sabe, seu Joshua, ando confusa. Meus pais querem que eu vá para a capital estudar, para ser uma doutora advogada. Dizem que é garantia para o futuro, mas eu não quero! Gosto daqui… Mas, também não sei o que quero ser. Ai, tô angustiada, pois não quero decepcioná-los.

Joshua olhou para a jovem.

– Minha amiga, tranquilize-se, pois, em algum momento nessa vida, todos lidamos com essas incertezas, inclusive seus pais. É normal que os genitores esperem certas atitudes de seus filhos, bem como lhes desejem um futuro brilhante e vencedor, projetando a si mesmos em sua prole. Assim, também, é comum os filhos buscarem atender ao desejo dos pais. Mas, é complicado fazermos algo que não gostamos, ou nos tornarmos algo que outrem desejava ser, somente por ser o que esperavam de nós. Isso conduz a um viver deformado, deslocado e triste.

A jovem suspirou.

– Sim, é bem isso mesmo que eu tô sentindo.

– Ouvir a opinião dos pais é importante, pois, mais experientes e traquejados com os meandros desse mundo. Porém, se a tentativa for de imposição de vontade, rebele-se. – Ao ouvir tal palavra, a jovem arregalou os olhos e colocou a mão defronte a boca, e Joshua olhou em seus olhos. – Sim, isso mesmo. Senão, em algum dia no futuro, certas perguntas não a deixarão em paz: sou aquilo que esperava de mim mesma? Transformei-me naquilo que outrora idealizava? Sinto orgulho do que alcancei? E, minha querida, essas respostas são para você mesma, e serão dadas intimamente, fazendo grande diferença para um viver tranquilo, feliz e realizado.

– Acho que entendi o que o senhor quer dizer.

Joshua ajeitou a bengala entre os joelhos.

– Não falo de dinheiro ou de status social, e sim de realização, de projeção particular de futuro, vida, conduta… De tudo. Falo de ser humano como um todo. Os pais querem o melhor para seus filhos, mas, somente os próprios filhos é que compreendem qual o melhor caminho para si mesmos. Mas, devemos saber o que buscamos, traçarmos objetivos e persegui-los.

A jovem se inclinou na direção de Joshua.

– Eu sempre gostei de animaizinhos.

– Excelente! Então, utilize os conselhos de seus pais como um guia, mas seja você mesma e persiga sua vontade. Pode que eles não compreendam no momento, e até mesmo criem alguma dificuldade, mas, lembre-se: será você frente ao seu espelho no futuro – e Joshua olhou uma vez mais nos olhos da jovem. – E é por isso que minha verdade lhe digo: não ampute sua própria alma se transformando nos anseios de outra pessoa. Seja autêntica e persiga o caminho que seu coração aponta, pois este é um dos segredos para ser feliz.

"10" comentários em: O que espero de mim mesmo?

  1. Rafael - 26 de dezembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck 🙂

    • Rafael - 26 de dezembro de 2014

      Beijos Heloiza!

  2. Rafael - 26 de dezembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Laura Karvell
    Gosto disto!

  3. Rafael - 26 de dezembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Francisco Cândido Cândido
    Lindo e significativo texto, Rafael Lovato. Parabéns!

    • Rafael - 26 de dezembro de 2014

      Abração Francisco!

  4. Rafael - 19 de novembro de 2012

    Via FACEBOOK
    Ana Claudia Marques
    Joshua poderia ter me aconselhado há uns vinte e poucos anos atrás! rs compartilhado, como sempre!

  5. Rafael - 19 de novembro de 2012

    Via FACEBOOK
    Blacia Gonzales
    Belas perguntas Rafael: Sou aquilo que esperava de mim mesma? Transformei-me naquilo que outrora idealizava? Sinto orgulho do que alcancei? E, minha querida, essas respostas são para você mesma, e serão dadas intimamente, fazendo grande diferença para um viver tranquilo, feliz e realizado. Boa semana para todos e todas.

    • Rafael - 19 de novembro de 2012

      Bjão minha querida Blacia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *