<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

28 dezembro 2012

O horror e o terror moral

*Imagem recortada de La Liberté guidant Le peuple, de Eugène Derlacroix.

 

Sentado em um banco na praça central da cidade, o peregrino Joshua se abrigava do tórrido sol do meio-dia à sombra de majestosa figueira. Ainda se encontrava em Arroio Grande, ocupado com a observação do vai e vem de pessoas, quando uma senhora sentou ao seu lado.

Trocaram algumas palavras sobre o calor implacável, a promessa de chuva e o ano vindouro, que se avizinhava, e a senhora falou mais:

– Sabe, todos os dias vejo absurdos acontecerem neste nosso país, e não consigo compreender. Simplesmente, não entendo o que leva as pessoas a fazerem o que fazem. É um horror, uma imoralidade! No fim, chego a pensar que o melhor é me engajar a eles, aproveitar a pilantragem, para parar de me preocupar com ela…

Joshua ajeitou a bengala entre os joelhos.

– Às vezes sentimos vontade de desistir, não é mesmo? – E a mulher balançou a cabeça, concordando. – Sobre esse assunto, certa vez ouvi uma frase que muito me fez pensar, e que dizia que o horror e o terror moral deveriam ser nossos amigos. Acaso não fossem, então, eram inimigos que deveriam ser temidos.

– Hm… Nem sei o que pensar sobre isso.

– O que posso lhe dizer é que eu não concordo. O horror e o terror, qualquer que sejam, não são e nunca serão meus amigos ou aliados. E, não o devem ser de ninguém. O que precisam é ser combatidos, jamais temidos. A amiga fala da bandalheira institucional instaurada em nosso país. Mas, em um estado democrático, os governantes são mesmo diferentes dos eleitores que os colocaram no poder, pelas próprias mãos?

A senhora coçou a cabeça.

– Pensando assim, o senhor tem mesmo razão.

Joshua bateu com a bengala no chão.

– Como perduram no poder? Sim, há o horror, há o terror moral. E, se existem, é justo porque há quem deles se valha, quem com eles se alie. Mas, este não é o caminho, ao menos, não para mim.

– Mas, então, o que fazer?

Joshua se ajeitou no banco.

– Não temer o horror; combatê-lo. Não fugir do terror; encará-lo. Não se calar; manifestar-se. Não admitir a opressão; rebelar-se. Descruzar os braços. Racismo, genocídio, abuso de menores, maltrato de animais, dentre tantas coisas mais, são construídos sobre o silêncio, sobre a passividade. E, agir assim é se aliar ao horror e ao terror moral.

A senhora bateu ambas as mãos sobre os joelhos.

– Entendi! Sim, concordo com o senhor. Precisamos fazer algo!

– Minha amiga, todos somos imperfeitos. E, não diferente da árvore é a fruta que dela cai. Em nossas mentes, precisamos ter presente que nenhum homem é melhor do que o que há de melhor em nós, nem pior – e Joshua olhou nos olhos da senhora. – É por isso que minha verdade lhe digo: as grandes transformações do mundo dos homens começam no imo dos indivíduos, com a exteriorização de seu descontentamento. Com ação. Esse é o caminho par se vencer o horror e o terror moral.

"16" comentários em: O horror e o terror moral

  1. Rafael - 13 de fevereiro de 2015

    Camila Neves
    Willhelm Muito bom, Rafael Lovato! Bjs!

    • Rafael - 13 de fevereiro de 2015

      Beijão Camila!

  2. Rafael - 13 de fevereiro de 2015

    Juracy Michelin Barban
    Muito bom.

    • Rafael - 13 de fevereiro de 2015

      Beijos Juracy

  3. Rafael - 13 de fevereiro de 2015

    Tereza Gibson
    Bom dia Rafael desejo a vc e sua família um final de semana de saúde paz e proteção divina.

    • Rafael - 13 de fevereiro de 2015

      Beijos Tereza!

  4. Rafael - 13 de fevereiro de 2015

    Jerônimo Mendes
    Muito bom, meu amigo! 🙂

    • Rafael - 13 de fevereiro de 2015

      Abração Jerônimo!

  5. Rafael - 13 de fevereiro de 2015

    Dalci Bassanelli
    Maravilhoso!

  6. Rafael - 13 de fevereiro de 2015

    Luís Francisco Huyer
    Mt bom, Rafael!

    • Rafael - 13 de fevereiro de 2015

      Abração Luís!

  7. Rafael - 13 de fevereiro de 2015

    Grace Oseki
    Para uma ação mais consciente!! Parabéns!!

    • Rafael - 13 de fevereiro de 2015

      Beijos Grace!

  8. Rafael - 28 de dezembro de 2012

    Via FACEBOOK
    Rosiane Ceolin
    Viver e adaptar-se, ter coragem mesmo ao indignar-se, faz parte da vida, sempre um belo exemplo e mensagem nos textos Lovato, obrigada pela partilha amigo.

    • Rafael - 28 de dezembro de 2012

      🙂 Bjão minha querida Rosiane!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *