<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

12 abril 2013

Metamorfoses

O peregrino Joshua aproveitava o entardecer sentado na varanda da pensão, de onde possuía uma bela vista para o mar. Havia esquecido, em virtude do tempo que permanecera longe do litoral, como era agradável o cheiro da maresia, o vento úmido e fresco, e pensou que deveria voltar mais seguido.

Assim que anoiteceu, tentou ver as estrelas, o que, apesar de não haver nuvens no céu, não conseguiu. Poderia ser a claridade do vilarejo que as ofuscava, ou, talvez, fossem seus olhos que se encontravam velhos e cansados.

Enquanto Joshua se encontrava com tais pensamentos em mente, uma borboleta pousou no parapeito da varanda, no mesmo momento em que uma mulher se aproximou.

– O senhor também está pensando sobre a vida? Eu já desisti. Não acredito em mais nada…

Joshua se virou para a mulher.

– Pois é, minha amiga. É bem verdade que não raramente nos sentimos cegos, incapazes de enxergar o óbvio, o que está defronte a nossos narizes.

A mulher se aproximou mais um pouco.

– Como assim? O que o senhor está querendo dizer?

– Que, para progredirmos em nossa evolução nesta vida, muitas vezes, precisamos acreditar que o que procuramos está lá, em algum lugar. Mesmo que não o vejamos com clareza.

A mulher cruzou os braços.

– Sei não.

Joshua se levantou da cadeira e escorou ambas as mãos sobre a bengala.

– O desespero já me abraçou, perdi esperanças, pensei em abandonar essa vida, e isso tudo por desacreditar no meu próprio potencial de vencer obstáculos.

– Sei muito bem o que o senhor sentiu.

Joshua deu um passo na direção da mulher.

– Mas, é nesses momentos que devemos nos esforçar para levantar a cabeça e enxergar além do que nossos olhos veem.

– Como assim?

Joshua apontou para o céu.

– Meus olhos, agora, estão me dizendo que não existem estrelas no céu noturno. Você consegue vê-las?

A mulher cerrou os olhos.

– Não, também não.

– Será que elas de fato se apagaram, ou somos nós que não as conseguimos vê-las? – A mulher nada disse, e descruzou os braços. – Não vê-las é um ato volitivo nosso, dependente da nossa percepção de mundo, e, portanto, atrelado a nossos posicionamentos e crenças pessoais. Não as vemos por causa de algum empecilho momentâneo. Mas, isso quer dizer que elas não mais existem?

A mulher respondeu de pronto.

– Não!

– Pois é. Mesmo não as vendo, acreditamos que elas existam e que não sumiram. Nós é que não estamos conseguindo enxergá-las, só isso. A nossa metafísica resta deformada, divorciada da realidade, mas, não devemos nos desesperar por isso. Precisamos nos adaptar.

– Acho que estou entendendo o que o senhor quer dizer.

Joshua olhou nos olhos da mulher.

– Minha amiga, todos devemos enfrentar metamorfoses e adaptações em nossas vidas, para evoluirmos enquanto homens. Muitos optam por permanecer os mesmos, não se transformarem, e acabam desistindo de viver. Mas, a humanidade é cíclica, e assim somos todos nós, e de nada adianta lutar contra nossa natureza – e, nesse momento, Joshua viu a borboleta, outrora pousada no parapeito, voar no meio dos dois. – No final, uma pergunta lhe faço: quem, nesse mundo cão, vendo uma larvinha gorducha, imaginaria que ela metamorfosearia em uma linda borboleta?

A mulher sorriu.

– Ninguém!

– Pois, minha verdade lhe digo: assim somos todos nós. Sem enfrentarmos nossas metamorfoses, e sem acreditarmos em nosso potencial, jamais evoluiremos para algo miraculoso.

"20" comentários em: Metamorfoses

  1. Rafael - 31 de maio de 2015

    Grasiela Lenhart
    acho que to passando por uma metamorfose mas pode estar.bem debaixo dos meus olhos o que procuro

    • Rafael - 31 de maio de 2015

      Beijos Grasiela

  2. Rafael - 30 de maio de 2015

    Márcia Solange Vilela Moraes
    Verdade, as vezes tudo que precisamos é passar por uma metamorfose.

  3. Rafael - 29 de maio de 2015

    Francine Deitos Kreling
    Estamos promovendo uma metamorfose, da velha AGU para a #NovaAGU!

    • Rafael - 29 de maio de 2015

      Beijão Francine!

  4. Rafael - 13 de abril de 2013

    Via FACEBOOK
    Marinete Balduino
    Estou como esta mulher!ja não acredito em mais nada… Abraços!!!

    • Rafael - 13 de abril de 2013

      As estrelas estão lá, Marinete…

  5. Rafael - 12 de abril de 2013

    Via FACEBOOK
    Rosiane Ceolin
    Está mesmo amigo, na transformação, gostei mto, boa tarde Lovato.

    • Rafael - 12 de abril de 2013

      Bjão minha querida Rosiane

  6. Rafael - 12 de abril de 2013

    Via FACEBOOK
    Valterlina Marques
    Abraço, gostei bastante de seu texto!

    • Rafael - 12 de abril de 2013

      Valeu 🙂

  7. Rafael - 12 de abril de 2013

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck
    Muito bom Rafael! Adoro ler seus textos todas as sextas— feiras 🙂

    • Rafael - 12 de abril de 2013

      Muito me alegra saber disso minha querida Heloisa!

  8. Rafael - 12 de abril de 2013

    Via FACEBOOK
    Andréa Prochnow Saenger
    Como sempre, uma ótima leitura. Abraços Rafael Lovato.

    • Rafael - 12 de abril de 2013

      🙂 Bjão!

  9. Rafael - 12 de abril de 2013

    Via FACEBOOK
    Norton Campos
    Querido,não perco uma tua!!!!! Baita abraço e ótimo findi tbn!!!!! Mesmo longe,de perto..hehehe!!!!

    • Rafael - 12 de abril de 2013

      Mas que bom ouvir isso, Norton Campos. Excelente findi!

  10. Rafael - 12 de abril de 2013

    Via FACEBOOK
    Armim Siebeneichler
    Muito bom Rafa!!! Abraço.

    • Rafael - 12 de abril de 2013

      Valeu! Um apertado abraço, meu bom amigo Armim Siebeneichler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *