<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

21 junho 2013

Uma carta na areia

 

O peregrino Joshua se encontrava sentado no alto de uma duna de areia olhando as nuvens, o mar com suas ondas, a espuma na beira-mar, a vegetação sobre a duna. Perto de seus pés, viu um pedaço de papel parcialmente coberto de areia, mas, brigando com o vento, querendo voar. Joshua estendeu sua mão e pegou o pedaço de papel amarelado, com certeza consequência do tempo em que estava ali enterrado. Abrindo-o, leu:

 

Por que me deixa?

Vivo no escuro.

E, o sol?

Apagado em minhas lágrimas.

E, as estrelas?

Olhos turvos não as veem.

E, as lâmpadas?

No meu mundo não há mais energia.

Por que me deixa?

Sinto-me vazio.

E, o amor?

Correu, fugiu, escondeu-se de mim.

E, o calor humano?

Queima, arde, e esfria ainda mais minha alma.

Por que me deixa?

Não há propósito.

E, os filhos?

Planos incompletos de uma vida perdida.

E, o trabalho?

Sou um autômato, agrilhoado à repetição.

Por que me deixa?

Estou perdido.

E, a fé?

Cansei de esperar o milagre.

E, o caminho?

Mal traçado.

Por que me deixa?

Estou sozinho.

E, os amigos?

Presos em minhas máscaras de normalidade social.

E, a família?

Sou sozinho em meu mundo.

Por que me deixa?

Por que falhei comigo mesmo.

Por que me deixa?

 

Lágrimas rolaram dos olhos de Joshua. Possuía a consciência de que, para muitas perguntas, inexistiam respostas prontas nesta vida. No entanto, gostaria de poder ter dito ao autor daquela carta o quão importante era aviventar o bem-querer dentro do coração, propagar a solidariedade, a caridade, porque eram a melhor maneira de preencher o vazio e abandonos pessoais.

– Não há culpados – soprou ao vento –, só desencontros, desamores, desilusões. Para os que se questionam, segurem minha mão que lhes mostrarei o meu caminho para reencontrarem o mar, o sol. Para os que ficaram, relembrem os momentos de alegria, de amor, de amizade, e não se sentirão sozinhos. Para os que foram, fica a saudade, e a sapiência de que nos reencontraremos, um dia.

 

"17" comentários em: Uma carta na areia

  1. Rafael - 31 de julho de 2015

    Jorginho D’minas
    Que nunca, a energia positiva, nos abandone…
    Ela é nossa luz, nossa vida, nosso ser.
    Abraço!

  2. doralina lovato tesck - 31 de julho de 2015

    oque falar? que você é uma pessoa especial, iluminada, sensível? talvez muito mais que tudo isso junto , adoro ler seus textos , escreva sempre, sempre e sempre. beijoos.

    • Rafael - 31 de julho de 2015

      Beijão Doralina

  3. Rafael - 26 de junho de 2013

    Via FACEBOOK
    Dacyane Torres
    Parabéns Rafael Lovato!belo texto!

    • Rafael - 26 de junho de 2013

      Bjão Dacyane!

  4. Rafael - 21 de junho de 2013

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck
    Lindo texto Rafael!!

    • Rafael - 21 de junho de 2013

      Bjão minha querida amiga Heloiza!

  5. Rafael - 21 de junho de 2013

    Via FACEBOOK
    Blacia Gonzales
    …na vida, para muitas perguntas, inexistiam respostas prontas… Considero aqui a beleza da vida! Bom final de semana!

  6. Rafael - 21 de junho de 2013

    Via FACEBOOK
    Delci Mantelli
    Que bom abrir o facebook e encontrar esse belo texto,com certeza deixou o meu dia melhor.Parabens Rafael!!!!!!!

    • Rafael - 21 de junho de 2013

      Valeu minha querida Delci Mantelli, bjão!

  7. Rafael - 21 de junho de 2013

    Via FACEBOOK
    Daniel Schwingel
    Mazahh garoto…coisa linda…tu é daqueles que provocam orgulho alheio! parabéns!!!

    • Rafael - 21 de junho de 2013

      Meu bom amigo de longa data, Daniel Schwingel, que maravilha ouvir isso. Um abração, meu querido!

  8. Rosa Maria Lovato - 21 de junho de 2013

    Um simples sopro pode mudar o rumo de viajantes destas eras. Beijos, filho. Ótima leitura. Adrede, te amo!

    • Rafael - 21 de junho de 2013

      Bjo minha mãe amada.

  9. Rafael - 21 de junho de 2013

    Via FACEBOOK
    Andréa Prochnow Saenger
    Ótima leitura!! Obrigado Rafael Lovato. Até a próxima!

    • Rafael - 21 de junho de 2013

      Valeu por ler, minha querida amiga Andréa Prochnow Saenger, e obrigado pelas sempre gentis palavras!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *