<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

25 outubro 2013

Atração gravitacional

O peregrino Joshua ainda se encontrava entre vilarejos, e naquela quente noite de primavera resolveu dormir sob as estrelas.

Acomodou-se perto de grande árvore, acendeu uma fogueira para lhe fazer companhia e se deitou, mirando o firmamento. Imediatamente, lembrou-se de um manuscrito que anos atrás encontrou dentro de um livro da biblioteca de uma cidade muitas léguas dali. Sem pestanejar, pegou seu alforje e procurou o pedaço de papel, que encontrou, e se pôs a ler:

 

Eu nasci e nunca vi o amor.

Vi o sol surgir milhares de vezes no horizonte,

Vivi o momento presente

Sem passado ou futuro.

E, agora, a atração gravitacional me devora.

A cada dia, a cada hora,

A gravidade me devora.

Sou um homem, não um planeta,

Mas gostaria de ser estrela.

A luz, própria.

Ainda assim, a gravidade me devoraria.

É o tempo.

Buracos negros do meu viver.

Outrora, costumava contar os anos.

Enquanto isso, galáxias computavam milênios.

E, ao mesmo tempo, borboletas contavam os dias.

Agora, eu, sem amor, despedaçando-me, conto as horas.

A gravidade e seus buracos negros,

Tentando engolir o meu tempo, os meus minutos.

Sinto fome, mas não sei do que.

Talvez seja a fome da falta do que nunca tive.

O amor, que nunca vi.

E me devora.

Sou um homem que queria ser estrela.

E que, como tudo nesse universo,

Sou devorado pelo tempo.

E pela gravidade daquilo que nunca vi.

 

Joshua guardou o papel no alforje e voltou a olhar as estrelas. Pensou que sim, eram lindas, e que sim, ele era um homem. E que nada possuía contra a gravidade, pois, e sabia muito bem disso, era um homem. E era o que queria ser. E, justo por isso, nunca se preocupou com contar o tempo. Viver e se empenhar em conseguir alcançar o que desejava de sua vida. Sim, isso é o que mais importava.

E fechou os olhos, e dormiu.

 

"6" comentários em: Atração gravitacional

  1. Rafael - 26 de outubro de 2013

    Via FACEBOOK
    Rosiane Ceolin
    Boa noite querido amigo Lovato.

    • Rafael - 26 de outubro de 2013

      Bjos Rosiane!

  2. Rafael - 26 de outubro de 2013

    Via FACEBOOK
    Bagual Klein
    Muito bom o texto, como sempre !

    • Rafael - 26 de outubro de 2013

      Abração meu amigo Bagual!

  3. Rafael - 25 de outubro de 2013

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck
    Amei o texto e a foto!

    • Rafael - 25 de outubro de 2013

      Que bom minha querida amiga Heloiza!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *