<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

10 janeiro 2014

O movimento do viver

 

Naquela quente tardinha, o peregrino Joshua se encontrava sentado em uma cadeira na varanda da pensão em Campo Florido e observava os pássaros e o vento brincar com as folhas das árvores. Pensava sobre o mundo e os homens, e conjeturou para si mesmo:

 

Há dias em que sinto estranha a minha passagem por este mundo,

Pois percebo que, por mais que me esforce em progredir,

Evoluir, avançar, não parece fazer diferença:

Encontro-me parado, inerte. Pregado no chão.

Doces ilusões de um viver em movimento.

Então, reanimo-me, e penso que pode ser uma percepção individual,

Uma inércia aparente, posto que posso, de fato, estar em movimento.

Que meu estado estacionário é mera ilusão e confusão.

Mas, como saber com certeza?

Como controlar essa ânsia gerada pelo, mesmo que suposto, estado inerte?

Então, olho para os lados e vejo a vida, os campos, os ventos.

E percebo que, às vezes, meus dias, simples e caprichosamente,

Repetem-se, um atrás do outro, em uma sucessão de ilusões bem montadas

De um viver em movimento. E sem nada de novo sobre o céu e na terra.

Ao menos não para o meu eu.

Observo, com meus olhos cansados, as manchas em minhas velhas mãos,

A bengala entre meus joelhos e, às vezes, penso no barqueiro Caronte,

Navegando as marés da vida.

Quando verei seu barco? Temo-o ou o desejo?

Doces ilusões de um viver em movimento.

Penso em assumir o papel de joguete desordenado no oceano da vida,

Esperando, desesperadamente, uma onda me levar…

Abandonar as ilusões de viver… E de movimento.

Chego a pensar em desistir.

Por que permanecer vivendo neste estado inerte?

E é quando lembro que o movimento em minha vida depende de mim.

E que, mesmo que esteja em um barquinho à deriva no mar do viver,

Tenho a opção de remar. De não desistir.

Vejo que dias e mais dias se repetem em minha vida.

E, quando isso acontece, aprendi que devo prestar atenção em mim mesmo,

Não desistir.

Criar o movimento em minha vida.

 

Com esses pensamentos em mente, Joshua se levantou da cadeira e, apoiado em sua bengala, saiu para caminhar.

"12" comentários em: O movimento do viver

  1. Rafael - 10 de janeiro de 2014

    Via FACEBOOK
    Patricia Karnopp
    acho q não sou só eu que me sinto assim então…muito bom,adorei

    • Rafael - 10 de janeiro de 2014

      Bjos Patricia!

  2. Rafael - 10 de janeiro de 2014

    Via FACEBOOK
    Delci Mantelli
    ai ai ai …..emocionante abraços Rafael ,espero que em 2014 vc continue escrevendo mais e mais…….

    • Rafael - 10 de janeiro de 2014

      Bjo é ótimo 2014 Delci!

  3. Rafael - 10 de janeiro de 2014

    Via FACEBOOK
    Mércia Silqueira Corrêa
    Que lindo!! Esse Joshua me emociona!!!

  4. Rafael - 10 de janeiro de 2014

    Via FACEBOOK
    Bica Stein
    Lindo me emocionei !!!

    • Rafael - 10 de janeiro de 2014

      Abraço Bica!

  5. Rafael - 10 de janeiro de 2014

    Via FACEBOOK
    Ariete Presseler
    Muito bom! Abços…

    • Rafael - 10 de janeiro de 2014

      Bjo Ariete!

  6. Rafael - 10 de janeiro de 2014

    Via FACEBOOK
    Rosa Maria Lovato
    Lindo, meu filho! E bastante profundo. Lembrei de uma conversa, nesta semana, com a Tia Rita, lá em Capão da Canoa. Justamente sobre viver e gostar de viver!!! Beijo.

    • Rafael - 10 de janeiro de 2014

      Bjo mamãe amada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *