<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

17 janeiro 2014

As memórias e o tempo

 

Naquela quente tardinha de verão, o peregrino Joshua ainda se encontrava no povoado de Campo Florido. Após andar por suas ruas, percebeu que era maior e mais populoso do que os vilarejos que costumava visitar, com prédios altos, movimento dos modernos automóveis e pessoas vestidas com roupas elaboradas.

Sentou-se no banco da praça central para observar o pulsar da cidadela, e, sem demora, um senhor sentou ao seu lado. Após momentos de conversa, ele falou:

– Nesses últimos dias estive pensando sobre uma coisa muito esquisita que aconteceu em minha vida.

Joshua se virou para o homem:

– Meu amigo, continue.

– Algum tempo atrás comecei a procurar por amigos de minha infância e adolescência, e reencontrei vários. A ideia era rever pessoas há muito esquecidas, e que eram meus amigos, sabe?

– Compreendo sim.

O homem pigarreou:

– E foi ótimo. Mas, então, de repente, comecei a me deprimir com aquilo, e não sei o porquê. Não sei se o senhor me entende.

Joshua olhou para o homem:

– Em nossas vidas passamos por situações boas e ruins, e algumas permanecem conosco para sempre, em nossas lembranças. Uma tarde de sol, um encontro com amigos, o primeiro beijo…

– Isso mesmo. Eu queria reviver esses momentos! Por que fiquei deprimido, então?

– Meu amigo, é algo perigoso mexermos com momentos do nosso passado, felizes ou não.

O homem cruzou os braços:

– Como assim?

Joshua ajeitou a bengala entre os joelhos:

– O mundo revoluciona e as pessoas se adéquam ao meio. Nosso melhor amigo de infância, que por algum capricho o destino nos distanciou, hoje pode ser uma pessoa totalmente diferente da que conhecíamos.

– Hm.

– Se o reencontrarmos, possivelmente não mais teremos lugar em sua vida, ou ele na nossa, e não raramente essa experiência é devastadora. Sim, pois, então, aquela lembrança de garoto, de momentos de amizade intensa, ruiria, e perderíamos algo precioso a nós mesmos: a nossa lembrança.

O homem descruzou os braços:

– Foi bem isso o que aconteceu comigo!

Joshua olhou nos olhos do homem:

– Meu amigo, muitas de nossas lembranças não sobrevivem a um embate com a realidade, com a lucidez de um adulto, com a frieza de raciocínio de homens feitos. Entenda que aquelas memórias, quando criadas, não foram confrontadas com a matemática do dia-a-dia, dos problemas, das dificuldades, e principalmente das responsabilidades.

– Poxa, o senhor disse tudo.

– Não somos mais quem fomos quando crianças. O mundo nos rouba a ingenuidade, para conseguirmos sobreviver nele. Crescemos de fato, no mais pejorativo dos sentidos. A questão é que, se repensarmos, provavelmente concluiríamos que não estamos completamente dispostos a reatar uma íntima amizade com quem outrora nos auxiliava em nossas traquinagens e desvios de conduta.

O homem sorriu:

– É verdade.

– Viva sua vida e desfrute de suas lembranças, mas as mantenha no passado. E é por isso que são mágicas: não voltam, construídas em um manto surreal do viver – e Joshua colocou a mão no ombro do homem: – Meu amigo, seu desconforto é compreensível, e é por isso que minha verdade lhe digo: viva a sua vida no presente, no hoje, pois é assim que construímos novas lembranças para o amanhã.

"6" comentários em: As memórias e o tempo

  1. Rafael - 17 de janeiro de 2014

    Via FACEBOOK
    Norton Campos
    Showwwwwwwwwww ,baita abraco,meu querido Rafael Lovato e ótimo findi tbn pra vocês!!!!

    • Rafael - 17 de janeiro de 2014

      Abração Norton!

  2. Rafael - 17 de janeiro de 2014

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck
    Excelente texto Rafael!

    • Rafael - 17 de janeiro de 2014

      Bjão Heloiza!

  3. Rafael - 17 de janeiro de 2014

    Via FACEBOOK
    Bica Stein
    Linda mensagem!

    • Rafael - 17 de janeiro de 2014

      Abração Bica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *