<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

20 junho 2014

A traição e os filhos

Já há alguns dias o peregrino Joshua deixara para trás o povoado de Campo Florido, e naquele final de tarde se encontrava no vilarejo de Serra Miúda. Sentado em uma cadeira na varanda da pequena pensão, refletia sobre a vida e os homens, quando um senhor sentou perto de si.

Vários minutos passaram, e Joshua percebeu que ele meneava a cabeça e suspirava, mas respeitou sua privacidade. Súbito, o senhor quebrou o silêncio.

– Mas, o que pensam de mim?

Como Joshua ponderou para si que o senhor poderia mais estar falando consigo mesmo do que buscando alguma resposta, optou por nada dizer. Porém, sem demora ele olhou para Joshua.

– Devem achar que eu sou um… Um coitado.

Joshua ajeitou a bengala entre os joelhos.

– Meu amigo, acalme-se.

– O senhor não faz ideia, eu não tenho paz.

– Só terei ideia daquilo que o amigo julgar adequado compartilhar.

O senhor suspirou alto.

– É uma longa história.

Joshua se ajeitou na cadeira.

– Estou certo de que possuo tempo o suficiente para ouvi-lo.

O senhor olhou para os lados, quem sabe conferindo se alguém mais os ouvia, e falou em baixo tom de voz, quase uma confidência.

– Sabe, anos atrás minha esposa me traiu. Sim, é verdade… – E ele olhou para o chão. – Mas, sabe, ela se arrependeu, pois foi ela mesma quem me falou tudo, o senhor entende? – E levantou os olhos novamente.

– Compreendo perfeitamente. Continue.

– Pois é. Nós temos dois filhos, dois rapagões. O senhor tem filhos?

Aquela pergunta remeteu Joshua a memórias de sua família há muito perdida, e seus olhos umedeceram. Mas, não era momento de pensar em si, e preferiu simplificar.

– Não.

– Ok. Pois então, aí aconteceram umas coisas e precisamos conversar com eles sobre o que… Sabe, a questão…

– Sim.

– Pois é. Eu perdoei minha esposa, sabe, e não é isso o que me incomoda.

Joshua olhou nos olhos do senhor.

– O amigo se preocupa com o que seus filhos pensam de sua atitude.

O senhor abriu a boca e arregalou olhos.

– Mas, é bem isso mesmo! Eles devem achar o quê? Que sou um… Um banana, um fraco.

Joshua escorou as mãos sobre a bengala.

– Meu amigo, nesta vida todos cometemos equívocos, isso é ser humano. O que é verdadeiramente importante é aprendermos com nossos erros, e não os cometermos novamente. Se perdoou sua esposa, este é um assunto entre os dois, e não tenho dúvida alguma de que seus filhos possuem esta noção.

O senhor gesticulava.

– Mas, e o que eles pensam de mim?

– Imagino que devam ponderar que, mesmo em um momento de tristeza e dor, você foi capaz de colocar seu amor por sua família, tanto por seus filhos quanto por sua esposa, em primeiro lugar. E isso é ser muito forte…

– O senhor acha mesmo?

– Meu amigo, perdoar não é algo fácil. Fraqueza seria fugir, esconder-se. E não que eu defenda a traição, mas sim que admiro a coragem daqueles que enfrentam seus problemas de frente, e os vencem.

– Acho que tô entendendo o que o senhor quer dizer.

– Tratar uma traição com violência, desforra, fuga, separação, não necessariamente é ser forte. Admitir que ama sua esposa, repensar a vida em casal e, principalmente, priorizar a higidez de seu seio familiar, isso sim, para mim, é honradez, bravura, fortaleza. Portanto, não se preocupe com o que seus filhos pensam de você. Estou seguro de que eles o admiram, e muito.

– Mesmo? E por que o senhor acha isso?

Joshua olhou nos olhos do senhor.

– Porque você deu a eles excelente exemplo: que o amor verdadeiro, tanto de um marido quanto de um pai, supera qualquer adversidade. E que você, independente do que aconteça, jamais os abandonará.

"20" comentários em: A traição e os filhos

  1. Paulo Ricardo Carvalho Machado - 26 de junho de 2014

    Siga tranquilamente entre a ´pressa e a inquietude, mesmo que você não perceba o Universo vai seguindo o seu destino, lembre-se você é filho dele, irmão das estrelas, das árvores, pássaros, borboletas, do mar ….merece estar aqui e agora, faça tudo para ser feliz, sege prudente consigo mesmo, pois o cansaço e fadiga nos leva ao imaginário, é só dar um tempo e volta tudo as normalidades e o Universo segue o seu destino…Shalon.

    PRCM

    • Rafael - 26 de junho de 2014

      Abração Paulo!

  2. Ariete M. H. Presseler - 20 de junho de 2014

    Lindo, como sempre! Abços….

  3. Rafael - 20 de junho de 2014

    Via FACEBOOK
    Dalci Bassanelli
    Como sempre muito lindo!

    • Rafael - 20 de junho de 2014

      Beijão minha querida Dalci

  4. Rafael - 20 de junho de 2014

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck
    Belo texto!

    • Rafael - 20 de junho de 2014

      Beijos Heloiza!

  5. Rafael - 20 de junho de 2014

    Via FACEBOOK
    Irene Oliveira
    🙂 ja sou fa,amo as historias 🙂

    • Rafael - 20 de junho de 2014

      Beijo Irene!

  6. Rafael - 20 de junho de 2014

    Via FACEBOOK
    Mônica Guimarães Kawakami
    Lindo! Quando retornar à minha cidade gostaria de levar comigo o peregrino Joshua; autografado então; seria o máximo.

    • Rafael - 20 de junho de 2014

      Beijo minha querida amiga Mônica!

  7. Rafael - 20 de junho de 2014

    Via FACEBOOK
    André Rosa
    Lindo, irmão!

    • Rafael - 20 de junho de 2014

      Abração meu querido André!

  8. Rafael - 20 de junho de 2014

    Via FACEBOOK
    Norton Campos
    Sempre um showwwwwwwwwwwwww,baita abraco Rafael Lovato!!!!!

    • Rafael - 20 de junho de 2014

      🙂 abração Norton!

  9. Rafael - 20 de junho de 2014

    Via FACEBOOK
    Elaci Bencke
    Que lindo!!! 🙂

    • Rafael - 20 de junho de 2014

      Beijão minha amiga Elaci!

  10. Rafael - 20 de junho de 2014

    Via FACEBOOK
    Bagual Klein
    Muito bom !

    • Rafael - 20 de junho de 2014

      Abraço meu amigo Bagual!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *