<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

25 julho 2014

Uma criança, muitas vidas

 

Aquela tarde invernal terminou com forte chuva, e o peregrino Joshua se encontrava sentado na varanda da pensão em Serra Miúda. Pensava que era hora de seguir sua peregrinação, mas algo lhe assoprava que havia motivos para permanecer ali, mesmo que somente por mais um dia. Talvez, fosse o anjo em seu ombro, talvez fosse sua intuição.

Súbito, enquanto refletia sobre a vida e os homens, uma mulher, enfrentando a chuva, subiu correndo os degraus da varanda. Esbaforida, perguntou:

 – O senhor é o peregrino de quem tanto falam? – Ao que Joshua aquiesceu com um aceno de cabeça enquanto a mulher sentava perto de si. – Que bom! Preciso de ajuda. O senhor poderia conversar um pouco?

Joshua olhou para a mulher.

– Claro. No que posso ajuda-la?

– Pois então. A situação é muito triste. Muito mesmo. Um jovem casal de amigos teve uma filhinha, linda, mas ela nasceu muito doente. Eles fizeram todo o possível para salvá-la: tratamentos modernos, os melhores medicamentos, inclusive cirurgia inovadora. Porém, sem nem completar um aninho, a menina faleceu, e eles se encontram inconsoláveis.

– Entendo. Continue.

A mulher gesticulava.

– Gosto muito deles, e não sei como ajuda-los. Será que uma criança vir a este mundo e sofrer assim foi vontade de Deus? Ou carma? Talvez precisasse resgatar questões de outras vidas? Como confortar seus pais?

Joshua ajeitou a bengala entre os joelhos.

– Minha amiga, acalme-se. Não possuo dúvida de que a situação que você narrou é das mais dolorosas. Porém, o viver, não raramente, pode ser cruel, e os infortúnios, randômicos. E, não há como fugirmos disso. Porém, o que posso lhe dizer é que, independente da crença que cada um nutre, ela não mensura a importância do viver de cada indivíduo.

– Como assim? Essa criança sequer viveu! E isso que é o mais triste.

– Minha amiga, essa criança pode ter permanecido neste mundo o suficiente para viver muito mais do que qualquer um de nós. E, o bastante para ter relevância ao mundo muito além do que imaginamos.

A mulher coçou a cabeça.

– Não estou entendendo aonde o senhor quer chegar.

– Nenhum viver é em vão, e o tempo criado pelos homens não mensura a importância de uma vida. A amiga comentou que essa menina veio muito doente ao mundo, e que a trataram com tudo o que há de disponível atualmente, inclusive inovadoras técnicas médicas, não é verdade?

A mulher balançava a cabeça.

– Sim, é isso mesmo.

Joshua se ajeitou na cadeira.

– Pois, então lhe pergunto: quantas vidas esta menina salvou e salvará nos anos vindouros?

– Ã? Como assim?

– Por infelicidade, as técnicas e medicamentos não funcionaram como deveriam para cura-la. Mas, não há dúvida de que os médicos, ao tentarem salvá-la, evoluíram seus tratamentos e aprenderam com ela. E, isso resultará em evolução e em salvar a vida de outras crianças com o mesmo problema, no futuro.

– Não havia pensado nesse aspecto.

– Minha amiga, o simples fato desta criança somente permanecer alguns meses neste mundo não macula a importância de seu viver, a relevância ou a complexidade de sua luta. Muito menos a bondade, a esperança que ela entregou a tantas outras crianças na mesma situação em que ela se encontrava. E, não pense que ela ter partido deste mundo significa ter sido derrotada: doando-se, ela certamente triunfou de uma maneira que nós jamais seremos capazes.

– E o que eu posso dizer aos pais dela?

Joshua olhou nos olhos da mulher.

– Diga que a filha deles viveu e lutou bravamente pela vida dela e de seus semelhantes. E, que tal luta entregará felicidade e esperança à vida de muitas famílias, por muito tempo. E isso, certamente, é motivo de sobra para se ter orgulho e alegria por uma filha.

"10" comentários em: Uma criança, muitas vidas

  1. Rafael - 25 de julho de 2014

    Via FACEBOOK
    Rociclé Medeiros
    Parabéns gostei muito.Um grande abraço .

  2. Rafael - 25 de julho de 2014

    Via FACEBOOK
    Aneli Magedanz
    Parabéns pelo teu dia amigo.abraços

    • Rafael - 25 de julho de 2014

      Valeu Aneli!

  3. Rafael - 25 de julho de 2014

    Via FACEBOOK
    Rosa Maria Lovato
    Obrigada, filho querido. Beijo.

    • Rafael - 25 de julho de 2014

      Beijão mamãe amada.

  4. Rafael - 25 de julho de 2014

    Via FACEBOOK
    Norton Campos
    Showwwwwwwwwwwwwwww,como sempre,meu querido Rafael Lovato,grabde abraco e ótimo findi tbn!!!

    • Rafael - 25 de julho de 2014

      Abração Norton!

  5. Rafael - 25 de julho de 2014

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck
    Muito lindo e tocante!

    • Rafael - 25 de julho de 2014

      Que bom minha querida Heloiza, beijão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *