<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

18 setembro 2014

O indivíduo e o grupo

 

O peregrino Joshua chegou ao povoado de Riacho Seco no final daquela manhã de primavera. Tendo em vista que somente se alimentou de pão e água por dias, concluiu que seria uma ótima ideia almoçar propriamente. Assim, adentrou um pequeno e singelo barzinho que servia lanches, na entrada do vilarejo.

Logo que adentrou o recinto, percebeu que um grupo de homens discutia sobre o que iriam beber e comer, pois o dono do estabelecimento propôs que, se todos ordenassem a mesma refeição, poderia dar um desconto. E, tal atitude simpática, foi o suficiente para que se instalasse um pandemônio. Uns queriam sanduíches, outros arroz e feijão, um gritava ‘pastel!’, outro teimava em tomar sopa.

Ninguém se entendia, até que num dado momento um dos homens se virou para Joshua, falando:

– E o senhor aí, peregrino, não concorda que sanduíches são uma ótima opção, e que eu é que tô certo?

Joshua escorou ambas as mãos sobre a bengala.

– Meus amigos, penso que todos estejam certos. Mas, igualmente, todos se encontram um pouco equivocados. Nessa vida, nos acostumamos a agir de modo isolado, tomando decisões pessoais e individuais, ponderando-as solitariamente. Destarte, acabamos por acreditar que sempre, e em todas as situações, possuímos a condição de melhor optar segundo nossos instintos e convicções, pois muito bem nos servem no dia-a-dia.

O mesmo homem bradou.

– Pois é isso mesmo! Se uma coisa é boa o suficiente para mim, por que não seria para os outros também? Ora bolas…

Joshua deu um passo na direção do grupo, completando:

– Por que não podemos impor nossas vontades a outras pessoas, não é mesmo?

– Exatamente!

– Não podemos por causa da metafísica.

O Homem coçou a cabeça.

– Meta-o-quê?

– Metafísica, que é a maneira pela qual cada um de nós percebe o que acontece ao redor, criando a concepção individual sobre a vida, o mundo e os homens. Cada um possui seus próprios olhos, entendimentos, desejos, sentidos. E, justo por isso, cada um de nós vê e compreende o mundo de maneira particular, baseado em sua concepção de vida, em sua metafísica.

Outro dos homens do grupo falou.

– O senhor não tem noção do nó que deu na minha cabeça!

Joshua deu mais um passo na direção do grupo.

– O problema é que, como não sabemos ou experimentamos tudo neste mundo, podemos desconhecer questões que acabariam mudando nossa percepção, alterando nossas decisões.

– Como assim?

– Por exemplo, um tempero exótico na sopa ou uma mortadela diferente no sanduíche, se acaso os provássemos, poderiam mudar nossa percepção sobre o que seria desejável para nós mesmos. E, é exatamente por isso que vivemos em sociedade: para somarmos esforços e compartilharmos descobertas…

– Agora estou entendendo aonde o senhor quer chegar.

Joshua deu mais um passo à frente.

– E é por isso que lhes pergunto: o que é o mais importante? Comer o que julgamos mais gostoso ou progredir enquanto grupo? Manter uma birra ou retomar uma amizade? Ser teimoso ou ganhar um abraço? Conversar e se entender ou viver isolado com convicções individuais? – E Joshua parou na frente do grupo. – Meus amigos, é por isso que minha verdade lhes digo: cultivem o entendimento, o abrir mão de algumas questões, o tolerar, a alegria em prol do grupo, pois, assim, estarão cada vez mais próximos, amigos, fortalecidos. E, o principal: estejam abertos ao novo, ao diferente, pois é assim que descobrimos outros pontos de vista, acabando por conseguir compreender que existem muitas outras opções no mundo, as quais nossa metafísica desconhecia. E, possivelmente, ainda melhores das que vínhamos elegendo.

"20" comentários em: O indivíduo e o grupo

  1. Rafael - 26 de setembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Carla Marder
    Lindo o texto para refletir.

    • Rafael - 26 de setembro de 2014

      Beijos Carla

  2. Rafael - 19 de setembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Eliene Lima
    Maravilhoso seu texto, é muita sabedoria mesmo! Parabéns.

    • Rafael - 19 de setembro de 2014

      Beijos minha querida Eliene!

  3. Rafael - 19 de setembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Paula Da Rin Souza
    Nós que agradecemos Rafael!

    • Rafael - 19 de setembro de 2014

      Beijão Paula!

  4. Rafael - 19 de setembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Lizane Coden
    Excelente texto. Abraço Rafael Lovato

    • Rafael - 19 de setembro de 2014

      Beijo Lizane

  5. Rafael - 19 de setembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Heloiza Averbuck
    Muito bom! Abração Rafael! 🙂

    • Rafael - 19 de setembro de 2014

      Beijos minha querida amiga Heloiza!

  6. Rafael - 19 de setembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Elaci Bencke
    Muito bom!!! Abraço amigo.

    • Rafael - 19 de setembro de 2014

      Beijão Elaci!

  7. Rafael - 19 de setembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Norton Campos
    Espetacular,como sempre,meu querido Rafael Lovato,baita abracooooooooooooo

  8. Rafael - 19 de setembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Arnaldo Leodegário Pereira
    Bom dia Rafael Lovato! Parabéns!!!! Sucesso!!!!

    • Rafael - 19 de setembro de 2014

      Bom dia Arnaldo!

  9. Rafael - 19 de setembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Gilney Mylius
    Bem ilustrativo…

    • Rafael - 19 de setembro de 2014

      Valeu Gilney!

  10. Rafael - 19 de setembro de 2014

    Via FACEBOOK
    Paulo Renato Nardelli
    Muito bom o texto, Rafael.

    • Rafael - 19 de setembro de 2014

      Abraço Paulo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *