<strong>O peregrino Joshua</strong>

O peregrino Joshua

Joshua é uma coluna com publicação semanal às quintas-feiras no Jornal Diário Regional e aos sábados no Jornal Folha do Mate.

Nela Rafael Lovato trata de temas cotidianos vivenciados por um velho peregrino, no início do século passado.

A série "O peregrino Joshua" está sendo publicada pela Editora Zap Book, e contará com ao menos 7 volumes, e que podem ser comprados no site www.zapbook.com.br

5 janeiro 2017

Resgates

  O peregrino Joshua, sentado à sombra de um Baobá, com olhos saudosos de um passado distante observava as montanhas, as árvores, os pássaros à sua volta. Há tempos se retirara do convívio diário com o mundo dos homens.

Havia respostas e aprendizados que só encontrava nos confins de sua mente quando abraçando à solidão. Mas, solitude não era a resposta para tudo. O contato humano, as conversas, os sorrisos, o vagar mundo afora, eram indispensáveis para conseguir trilhar outro caminho: o da tolerância, da amizade, do bem-querer. Sim, era hora de retornar. Não mais lhe traria qualquer conforto ou harmonia permanecer isolado do calor do mundo terreno.

Assim, munido de seu alforje, apoiado em sua bengala e com o anjo pousado em seu ombro, com passos firmes e decididos Joshua retomou sua peregrinação. Rumando ao vilarejo próximo, depois de uma das curvas do caminho ele se deparou com um homem sentado na beira da estrada. Súbito, o homem pôs-se em pé, e falou com Joshua que parou sua peregrinação. Após as apresentações, o homem comentou:

– Incrível como é difícil retomar um caminho que há muito abandonamos, o senhor não acha?

Joshua apoiou ambas as mãos sobre a bengala.

– Iniciar ou retomar uma jornada sempre apresenta obstáculos. Mas, o segredo para vencer a mais longa das caminhadas é o mesmo para vencer a mais curta delas.

O homem coçou a cabeça.

– E qual é?

– Dar o primeiro passo e seguir em frente.

– Hm, é verdade. O que quero dizer é que parece muito mais simples seguir por onde vamos. Tipo, sem olhar para trás.

Joshua deu um passo na direção do homem.

– Isso nem sempre é possível.

O homem arregalou os olhos.

– Não é que é mesmo! Mas, por que não consigo deixar pra lá o que está no passado?

Joshua deu mais um passo na direção do homem.

– Com o correr dos relógios desta nossa vida terrena acabamos desistindo de amores, de sonhos, vontades, atitudes… Não raro, até de nós mesmos. Mas, de tempos em tempos, deparamo-nos com oportunidades de resgatar, de refazer, de corrigir, de retomar. Então, damos uma olhadela no passado e reavaliamos, refletimos. É comum acabarmos por convencer a nós mesmos de que determinado caminho não nos era destinado, não era para ser seguido, mesmo nos parecendo o melhor.

– É bem assim mesmo…

Joshua parou defronte ao homem.

– O problema é que a ansiedade latente de retomar aquilo que deixamos para trás, e que insiste em nos perseguir, não arrefece. Medos, inseguranças, dificuldades, povoam nosso espírito, mas não mascaram o gosto amargo de termos falhado, permanecido inertes. A vida corre com seus passinhos apressados, e acabamos a tal ponto comprometidos com o caminho que trilhamos, que não julgamos possuir forças para retomar, recomeçar.

– Nossa, mas o senhor não é de brincadeira. Então, não tem nada que eu possa fazer?

Joshua colocou a mão no ombro do homem.

– Meu amigo, a melhor maneira de espantar um fantasma que nos persegue é acender uma luz. É por isso que minha verdade lhe digo: nunca é tarde demais para retornar, retomar questões, repensar seu passado para melhorar seu futuro. É justo nesta capacidade de reavaliar posicionamentos e atitudes que reside o próprio cerne de ser humano: imperfeito, pecador, mas sempre capaz de aprimoramento de seu espírito. Basta dar o primeiro passo.

 

"4" comentários em: Resgates

  1. Rafael - 6 de janeiro de 2017

    Rosa Maria Lovato
    Sempre avante, beijo filho amado.

    • Rafael - 6 de janeiro de 2017

      Beijos mamãe amada.

  2. Rafael - 6 de janeiro de 2017

    Heloiza Averbuck

    • Rafael - 6 de janeiro de 2017

      Beijão Heloiza!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *